20 Exemplos De Ciências Empíricas

Las ciências empíricas São aqueles que verificam ou justificam suas hipóteses por meio da experiência específica e da percepção do mundo por meio dos sentidos. Daí o seu nome, da antiga palavra grega empeiria que significa ‘experiência’. O método por excelência desse tipo de ciência é o hipotético-dedutivo. Por exemplo: bioquímica, astronomia, oceanografia.

Ditado método hipotético-dedutivo Supõe que as ciências empíricas nascem da experiência e da observação do mundo, e por meio desses mesmos processos verificarão seus postulados, tentando prever ou deduzir os resultados obtidos, por exemplo, por meio da reprodução experimental de um fenômeno observado.

  • Método científico

Diferença entre ciências empíricas e outras ciências

Las ciências empíricas se distinguem do ciências formais em seu maior esforço na verificação de hipóteses por meio da verificação experiencial, ou seja, a partir da experiência e da percepção, embora isso não implique necessariamente em experimentação.

Na verdade, todos ciências experimentais são necessariamente ciências empíricas, mas nem todas as ciências empíricas são experimentais: algumas podem usar métodos não experimentais de verificação, como observacional eu o correlacional.

Em princípio, as ciências empíricas se opõem às ciências formais porque estas últimas não requerem um mecanismo empírico de verificação e justificação, mas realizam o estudo de sistemas lógicos coerentes cujos sistemas de regras não são necessariamente comparáveis ​​com os do mundo físico. como é o caso da matemática.

Tipos de ciências empíricas

As ciências empíricas são divididas em dois grandes ramos:

  • Ciências Naturais. Empreendem o estudo do mundo físico e suas leis, de tudo o que atribuímos à “natureza”. Eles também são conhecidos como ciências “duras” devido à sua precisão e testabilidade necessárias.
  • Ciências Humanas ou Sociais. Por outro lado, as ciências sociais ou brandas tratam do ser humano, cujos princípios de ação não respondem a leis e mecanismos universalmente descritíveis, mas a tendências e classificações de comportamento. Eles oferecem uma ideia muito menos determinista do que é real do que as ciências exatas.
Pode interessar-lhe:  TIC: O Que São E Exemplos

Exemplos de Ciências Empíricas

  1. Química. É a ciência encarregada do estudo das leis que regem a matéria e das relações entre suas partículas (átomos e moléculas), bem como dos fenômenos de mistura e transformação a que são suscetíveis. É também uma ciência natural.
  2. Geografia. Ciência social encarregada da descrição e representação gráfica da superfície do nosso planeta, incluindo os mares e oceanos e os diferentes territórios, relevos, regiões e até sociedades que o constituem.
  3. Economía. Trata do estudo dos recursos, da criação de riqueza e da distribuição e consumo de bens e serviços, a fim de satisfazer as necessidades da raça humana. É também uma ciência social.
  4. Física. Entendida como a descrição das forças que atuam no mundo real a partir de modelos matemáticos aplicados, para formular leis que as descrevam e as prevejam. É uma ciência natural.
  5. Biologia. A chamada ciência da vida, pois se interessa pela origem dos seres vivos e seus diversos processos de desenvolvimento, evolução e reprodução. É uma ciência natural, claro.
  6. Química Física. Nascido da física e da química, abrange aqueles espaços de experiência e experimentação que exigem um duplo olhar sobre a matéria e seus processos, a fim de determinar seus processos internos e externos ao mesmo tempo. É logicamente uma ciência natural.
  7. geologia. Ciência que se dedica ao estudo dos processos das diferentes camadas da superfície do nosso planeta, prestando atenção à sua particular história geoquímica e geotérmica. É também uma ciência natural.
  8. Medicina. Esta ciência dedica-se ao estudo da saúde e da vida humana, procurando compreender o complexo funcionamento do nosso corpo a partir de ferramentas emprestadas de outras ciências naturais, como a química, a biologia ou a física. Certamente é uma ciência natural.
  9. Bioquímica. Este ramo da ciência combina os preceitos da química e da biologia para mergulhar nas operações celulares e microscópicas dos organismos vivos, estudando a maneira como os elementos atômicos de seus corpos operam em processos específicos. É uma ciência natural.
  10. Astronomia. Ciência que trata de descrever e estudar as relações entre objetos espaciais, desde estrelas e planetas distantes até as leis que podem ser derivadas da observação do universo externo ao nosso planeta. É outra ciência natural.
  1. Oceanografía. O estudo dos oceanos, do ponto de vista biológico, químico e físico, tentando descrever da melhor forma as leis únicas com as quais o universo marinho opera. É também uma ciência natural.
  2. nanociência. Esse é o nome dado ao estudo de sistemas cujas escalas são praticamente submoleculares, com o objetivo de entender as forças que ocorrem entre partículas de ditas dimensões e tentar manipulá-las por meio da nanotecnologia.
  3. Antropologia. O estudo do homem, de forma ampla, levando em consideração as manifestações sociais e culturais de suas comunidades ao longo de sua história e do mundo. É uma ciência social, ou seja, uma ciência “suave”.
  4. Sociologia. A ciência social por excelência dedica seu interesse às sociedades humanas e aos diversos fenômenos de natureza cultural, artística, religiosa e econômica que nelas ocorrem.
  5. Psicologia. Ciência que se dedica ao estudo dos processos mentais e das percepções do ser humano, tendo em conta o seu contexto físico e social e as suas diferentes fases de constituição ou desenvolvimento. É também uma ciência social.
  6. História. Ciência cujo objeto de estudo é o passado da humanidade e que o aborda a partir de arquivos, evidências, histórias e qualquer outro suporte da época. Embora haja debate sobre isso, é normalmente aceito considerá-la uma ciência social.
  7. Lingüística. Ciência social que se interessa pelas diversas linguagens humanas e pelas formas de comunicação verbal do homem.
  8. Direito. Também chamadas de ciências jurídicas, elas costumam incluir a teoria do direito e a filosofia do direito, bem como as abordagens possíveis aos diferentes sistemas de regulação jurídica criados pelos diferentes Estados para reger a conduta social, política e econômica de sua população.
  9. Biblioteconomía. Trata-se do estudo dos processos internos das bibliotecas, da gestão dos seus recursos e dos sistemas internos de encomenda de livros. Não confundir com a biblioteconomia, é também uma ciência social.
  10. Criminologia. Apesar de ser uma disciplina trans e multidisciplinar, é frequentemente incluída nas ciências sociais. Seu objeto de estudo é o crime e os criminosos, entendidos como aspectos humanos compreensíveis a partir das ferramentas da sociologia, psicologia e outras ciências sociais afins.
Pode interessar-lhe:  20 Exemplos De Software

  • ciências factuais
  • Ciências Exatas
  • ciências formais
  • Ciências puras e aplicadas