20 Exemplos De Assimilação E Acomodação

De acordo com o modelo construtivista da psique, também conhecido como teoria do desenvolvimento cognitivoproposto pelo suíço Jean Piaget, existem dois conceitos fundamentais para a aquisição do conhecimento no ser humano, que são os de assimilação e acomodação.

  • Assimilação. Entende-se por integração de novas informações que é possível adquirir por meio da experiência, ou seja, a incorporação ao psiquismo de elementos externos produto das circunstâncias de vida e do ambiente em que se desenvolve. Torna-se evidente quando os seres humanos respondem a eventos novos ou desconhecidos, voltando-se para experiências anteriores como referência, a fim de encontrar significado.
  • Alojamento. Obriga a alterar os esquemas pré-existentes em resultado de uma informação ou experiência adquirida recentemente, porque estes não são úteis para enfrentar a situação nova ou desconhecida, permitindo acumular uma nova camada de experiência.

A teoria do desenvolvimento cognitivo de Jean Piaget destaca a importância da assimilação e acomodação no processo de aprendizagem. Esses conceitos descrevem como os indivíduos adquirem e modificam seu conhecimento para se adaptarem às novas informações e experiências. Neste artigo, exploraremos exemplos de assimilação e acomodação, ilustrando como esses processos cognitivos são aplicados no desenvolvimento humano.

Exemplos de assimilação

Exemplo da Criança e o Cavalo

Uma criança que já possui o esquema mental de “cavalo” e encontra um cavalo em um zoológico pode assimilar essa nova informação em seu esquema existente. Ela identifica o animal de acordo com suas características conhecidas, como quatro pernas, crina e cauda, e o assimila como um cavalo.

Exemplo de Assimilação Cultural

Quando um indivíduo é exposto a uma nova cultura e encontra alimentos locais que são semelhantes aos que está acostumado em sua própria cultura, ele pode assimilar esses alimentos como equivalentes aos que já conhece. Por exemplo, alguém familiarizado com a comida mexicana pode assimilar tacos como uma variação de seus alimentos tradicionais.

  1. Um menino vê uma zebra pela primeira vez e, equivocadamente, a chama de cavalo, animal mais familiar à sua ordem de experiências.
  2. Quando começamos a aprender um novo idioma, usamos o que já conhecemos como referência para “traduzir” tudo em esquemas mentais já concebidos.
  3. Um bebê primeiro recebe uma mamadeira e imediatamente tenta chupá-la, pois a experiência com o mamilo da mãe o preparou para se relacionar com o objeto (quase tudo, na verdade) dessa maneira.
  4. Um menino brinca com bolas de borracha, até receber uma de pano. As formas semelhantes da bola permitirão que você a reconheça como tal, apesar de descobrir mais tarde suas diferenças.
  5. A pegada darwiniana: os bebês seguram tudo o que chega perto de suas mãos, pois é um reflexo evolutivo incorporado à psique desde muito cedo.
  6. A criança aprende o conceito de cachorro a partir de ilustrações de cachorros grandes ou talvez com um cachorro grande em casa. Mais tarde, ele se depara com um cachorro pequeno e pensa erroneamente que é outro animal, como um gato.
  7. O teste psicológico de Rorschach, que consiste em mostrar ao paciente uma série de manchas de tinta, utiliza perspectivas já assimiladas como forma exploratória do psiquismo do paciente: “o que você vê aqui?”.
  8. Quando os conquistadores espanhóis chegaram à América, eles descreveram o Novo Mundo em suas crônicas com base nos padrões já incorporados à sua cultura. Isso os impedia de ver a realidade como ela era, porque esperavam que fosse como a deles.
  9. Um menino de onze anos tem uma ideia de família estruturada (pai e mãe), que é prejudicada pelo divórcio dos pais, o que coloca a ideia em crise, já que não se encaixa em seus conceitos anteriores.
  10. Uma pessoa com baixa autoestima pode interpretar, com base em seus preceitos sobre si mesma, os parabéns por seu desempenho no trabalho como uma forma de pena ou agressão.
Pode interessar-lhe:  15 Exemplos De Preconceito

Exemplos de acomodação

Exemplo de Acomodação Sensorial

Imagine uma pessoa que sempre viveu em um ambiente silencioso e tranquilo e, de repente, se muda para uma cidade barulhenta e movimentada. Para se adaptar a esse novo ambiente, ela precisa acomodar seus sentidos e desenvolver estratégias para filtrar os estímulos sonoros e visuais excessivos.

Exemplo de Acomodação Cognitiva

Quando um estudante de matemática encontra um problema que não pode ser resolvido usando as estratégias aprendidas anteriormente, ele precisa acomodar seu conhecimento existente e desenvolver novas estratégias de resolução. Essa acomodação cognitiva permite ao estudante lidar com desafios matemáticos mais complexos.

  1. A mesma criança que contempla a zebra pela primeira vez, é informada de que se trata de outro animal, e o pequeno aprende a distingui-la dos cavalos, incorporando um novo aprendizado.
  2. Quando já aprendemos um novo idioma, suas estruturas mentais são comumente manipuladas e não precisamos “traduzir” o pensamento para um idioma anterior, mas podemos elaborar o pensamento diretamente no novo.
  3. A mesma criança com a mamadeira acaba aprendendo a segurá-la para chupá-la, algo que não deveria fazer com o seio da mãe, incorporando uma diferença para objetos semelhantes.
  4. A mesma criança com a bola de pano tenta quicá-la e percebe que ela não reage da mesma forma que as de borracha. Seu conceito de bola é expandido para acomodar a nova distinção entre objetos semelhantes.
  5. Apesar da compreensão darwiniana, o bebê crescerá e aprenderá a discriminar quais coisas segurar e quais não.
  6. A mesma criança que aprendeu a ideia do cachorro como algo grande e se defronta com o cachorro pequeno aprenderá, quando corrigida, a acomodar a nova possibilidade do cachorro dentro da categoria maior e a distingui-la da categoria dos gatos.
  7. Uma descoberta científica muitas vezes parte de ideias assimiladas e aceitas como verdadeiras, mas também pode forçar os cientistas a reorganizar o que eles tinham como certo e a reconsiderar conteúdos previamente aprendidos em vista da descoberta.
  8. A abertura às culturas estrangeiras envolve a acomodação da diversidade em esquemas mundiais mais amplos, democráticos e plurais, o que supõe um desafio às estruturas etnocêntricas fáceis e preconcebidas.
  9. O mesmo menino de onze anos com pais divorciados aprenderá, com o tempo, a acomodar ideias mais complexas de família que lhe permitirão manter um vínculo com seus pais, mesmo que eles não estejam juntos na época.
  10. Com a psicoterapia e o trabalho interior, a pessoa com baixa auto-estima aprenderá a distinguir o parabéns da pena e terá que acomodar internamente a realidade social do seu ambiente de uma maneira diferente.
Pode interessar-lhe:  Exemplos De Empatia

Perguntas Frequentes (FAQs)

Aqui estão algumas perguntas frequentes relacionadas à assimilação e acomodação:

O que é assimilação?

Assimilação é o processo pelo qual um indivíduo incorpora novas informações ou experiências em seus esquemas mentais existentes, interpretando-as de acordo com seus conhecimentos prévios.

O que é acomodação?

Acomodação é o processo de modificar os esquemas mentais existentes para se adaptar às novas informações ou experiências. Isso envolve a reestruturação do conhecimento para acomodar as novas demandas cognitivas.

Qual é a relação entre assimilação e acomodação?

Assimilação e acomodação estão intimamente relacionadas no processo de aprendizagem cognitiva. A assimilação ocorre quando as novas informações são interpretadas de acordo com os esquemas mentais existentes, enquanto a acomodação ocorre quando os esquemas mentais são modificados para acomodar as novas informações.

A assimilação e a acomodação desempenham um papel fundamental no desenvolvimento cognitivo e na aprendizagem. Os exemplos discutidos neste artigo destacam como esses processos são aplicados em diferentes contextos, desde o desenvolvimento infantil até a adaptação a novos ambientes e desafios cognitivos. Compreender esses conceitos ajuda-nos a apreciar a complexidade da aprendizagem humana e a importância de ajustar nosso conhecimento à medida que nos deparamos com novas informações e experiências.