10 Exemplos De Tropismo Positivo E Negativo

o tropismo (tanto positiva quanto negativa), refere-se ao crescimento ou mudança de direção do desenvolvimento de um organismo e, especialmente, de um ser vegetal ou vegetal, em resposta a um determinado estímulo ambiental.

Se o organismo se move a favor do estímulo, falaremos de tropismo positivo. Se, por outro lado, o fizer no sentido inverso, falar-se-á de tropismo negativo. Por exemplo: hidrotropismo positivo, fototropismo negativo.

  • Pode te ajudar: Policulturas

Tipos de tropismo

Já sabemos que um tropismo será positivo ou negativo conforme sua orientação a favor ou contra o estímulo ambiental considerado. No entanto, existem vários tipos de tropismos de acordo com a própria natureza do estímulo, a saber:

  • Fototropismo. É a reação das plantas em relação à luz solar, necessária para realizar seus processos de fotossíntese.
  • Geotropismo. Implica a orientação em relação ao eixo de gravidade da terra, o que permite orientar as raízes para o solo e os caules na direção oposta. É essencial durante a fase de germinação.
  • hidrotropismo. Outro elemento essencial para sua subsistência, a água, é um fator ambiental que influencia sobremaneira os tropismos das plantas, principalmente as árvores de grande porte em contextos urbanos.
  • tigmotropismo. É a reação em contato com um sólido. Muitas plantas tendem a crescer ao seu redor, em alguns casos ao seu redor e em outros envolvendo-os.
  • quimiotropismo. Semelhante ao hidrotropismo, mas referindo-se às substâncias químicas presentes no solo ou no meio em que a planta cresce. Se for favorável, as raízes e até o caule crescerão em sua direção, mas se não, crescerão na direção oposta.
  • aerotropismo. Crescimento em relação à presença ou ausência de ar e espaços livres ou maior ventilação.
Pode interessar-lhe:  10 Exemplos De Animais Ovovivíparos

Diferença entre Nastias e tropismos

Os tropismos, que são reações sustentadas a estímulos permanentes, não devem ser confundidos com Nastias , que são também movimentos de organismos vegetais, mas centrados em órgãos específicos e de caráter efêmero e difuso. Estes últimos são movimentos ativos e reversíveis, enquanto os tropismos não o são, pois implicam a forma definitiva do organismo.

Um exemplo de nastia são os plantas “sonolentas” (Mimosa casta), que fecham suas folhas ao serem tocadas, para evitar que sejam danificadas.

Exemplos de tropismo positivo

  1. hidrotropismo positivo. Figueiras são notórias por migrar suas raízes para fontes de água, levantando calçadas de ruas e quebrando canos no processo, por isso não é recomendado plantá-las perto de casas.
  2. Fototropismo positivo. Os girassóis são famosos por sua capacidade de literalmente se virar para o sol. Dessa forma, eles têm acesso constante à luz solar de que precisam. Segundo alguns especialistas, porém, por não constituir uma forma de crescimento, não seria o fototropismo propriamente dito.
  3. geotropismo positivo. Não importa como plantamos uma semente, as raízes sempre seguirão a força da gravidade, pois é assim que a planta garante que ela vá para o solo e receba os nutrientes necessários para continuar seu processo de crescimento.
  4. Tigmotropismo positivo. Trepadeiras e trepadeiras reagem à presença de objetos sólidos crescendo ao redor deles e se expandindo em sua superfície. Isso significa que muitos podem literalmente sufocar outros, tirando sua luz e CO2 Que necessitam.
  5. Aerotropismo positivo. A planta conhecida como “mãe má”, “aranha” ou “laço amoroso” (Chlorophytum comosum).

Exemplos de tropismo negativo

  1. fototropismo negativo. Algumas plantas aquáticas crescem no sentido oposto à presença constante da luz solar, ou pelo menos à sua incidência direta, pois isso mais cedo ou mais tarde causaria a evaporação da água e, portanto, a prejudicaria. Assim, a planta cresce no sentido contrário, fugindo do sol para áreas mais úmidas.
  2. Geotropismo negativo. Assim como as raízes vão a favor da gravidade, os caules das plantas sempre vão contra ela e nisso apresentam um geotropismo negativo. Isso porque, como costumam germinar no subsolo, os caules precisarão emergir para a superfície para, posteriormente, expor as folhas ao ar e receber a luz do sol. Se crescessem como raízes, nunca encontrariam um pingo de luz.
  3. Tigmotropismo negativo. Normalmente, plantas não trepadeiras ou não videiras respondem à presença constante de um objeto de bom tamanho em sua área de cultivo, redirecionando seus caules e tentando escapar para o ar livre, especialmente se o objeto em questão cortar sua luz. solar, água ou espaço crescente. Isso é possível notar em árvores plantadas bem próximas a prédios.
  4. hidrotropismo negativo. Como o excesso de água pode ser tão mortal para as plantas quanto a escassez absoluta, muitas plantas germinam nas margens de lagos e rios e crescem em direção à seca, pois isso lhes oferece melhores chances de sobrevivência. É um caso de hidrotropismo negativo, embora tais plantas ainda precisem de água para viver.
  5. Aerotropismo negativo. Em eventuais condições de movimentos de terra ou outro tipo de eventualidades que deixem expostas as raízes de uma árvore, elas se afastarão do ar e procurarão reentrar na terra, custe o que custar, pois não conseguirão extrair seus nutrientes do ar.