10 Exemplos De Direito Positivo

o direito positivo É o conjunto de disposições legais e legais concebidas pelo homem para reger a sua convivência e impostas pela organização de um Estado, bem como recolhidas em corpo escrito que contém o enquadramento legal detalhado. Por exemplo: regulamentos comerciais, códigos penais, contratos legais.

Ao contrário do direito natural (inerente ao ser humano) e do direito consuetudinário (ditado pelo costume), o direito positivo é imposto coletivamente em prol da regulação da convivência das pessoas, sancionado pelas instituições do Estado de acordo com as disposições de um código comum – um corpo de escritos leis – que, por sua vez, podem ser alteradas por consenso. Como se verá, trata-se de leis baseadas em um pacto jurídico e social.

disse regras e leis Eles também têm uma hierarquia, um escopo e uma determinada área de atuação, de acordo com o que estabelecem seus atos. Por isso, existem aparatos jurídicos estatais (juízes, advogados, tribunais, etc.) encarregados de interpretar corretamente o conteúdo dos atos.

  • Regras de convivência

Diferenças entre direito positivo e direito natural

Todos textos legais e legislativos de um determinado Estado, não apenas os que estão em vigor e os que consideramos como Lei; mas também a sua história legislativa, leis revogadas e todo o tipo de normas legais ou regulamentos que já foram escritos.

Nesse sentido, o direito positivo se sustenta com base na doutrina da juspositivismo oposto a lei natural em sua consideração de que as únicas normas jurídicas verdadeiras são aquelas promulgadas por consenso pelo homem. A lei natural, por outro lado, proclama a existência de leis morais primárias que nascem junto com a condição humana.

Pode interessar-lhe:  Exemplos De Vícios De Atos Jurídicos

Se o direito natural nasce com o homem, o direito positivo, ao contrário, é concedido pela sociedade e pelo Estado.

Exemplos de direito positivo

  1. Códigos rodoviários e de transporte. Todos os regulamentos de transporte, tanto terrestres (carros e veículos de todos os tipos), aquáticos (navios e outros) quanto aéreos (aviões e aviões) obedecem a códigos legais escritos por consenso social e político, por isso são registrados em manuscritos e muitas vezes são composto por uma série de signos e símbolos que, por exigirem interpretação, exigem uma educação formal na área por parte das pessoas.
  2. regulamentos comerciais. Os regulamentos que regem como fazer negócios de forma correta e legal em um país, que inclui registros legais, procedimentos e protocolos, estão incluídos em códigos comerciais e leis específicas da área, que podem ser consultados para realizar um negócio com sucesso ou, no contrário, para saber se talvez tenhamos sido vítimas de um mau procedimento.
  3. Certidões de nascimento, casamento e óbito. Todos os papéis timbrados que tenham por função registar as alterações do estado civil e vital dos cidadãos de um país, tais como certidões de nascimento, casamento e óbito, são emitidos pelo Estado mediante despacho escrito, que regista o ocorrido e permite legalmente prova do passado.
  4. constituições nacionais. Todos os quadros jurídicos de uma nação, onde se encontram os processos de eleição dos seus representantes, se descrevem os diferentes poderes e se ordena legalmente a vida, são um exercício emblemático do direito positivo: estas normas são escritas e impressas em massa para que os cidadãos saibam o que são as regras do jogo em sua nação.
  5. códigos penais. Uma parte dos ordenamentos jurídicos estaduais refere-se especificamente aos procedimentos de justiça e punição do crime, ou seja, o que fazer e como proceder diante de um roubo, furto, homicídio e todas as formas contempladas na escritura de transgressão . Em países com governos religiosos fundamentalistas, esse código costuma ser ditado por seus textos sagrados, como o Alcorão. Nesses casos particulares, talvez estivéssemos diante de um direito divino, mais que positivo, pois se supõe que o próprio Deus teria ditado aquelas leis sagradas.
  1. códigos de ética profissional. Toda a profissão sindicalizada, ou seja, com um quadro associativo que assegure a defesa dos direitos e o cumprimento dos deveres de todos os profissionais graduados e certificados, obedece a um código ético e legal escrito e partilhado com todos os que a exercem.
  2. contratos legais. Qualquer acordo legal assinado voluntariamente por duas partes que o certifiquem e se comprometam a cumpri-lo assinando um documento escrito, ou seja, um contrato, eles estão exercendo o direito positivo. Esse documento permanecerá mesmo quando o serviço, venda ou contrato de qualquer natureza já tenha sido realizado e fará parte da história jurídica dessas pessoas e do país.
  3. Licenças de uso. Semelhante aos contratos, as licenças de usuário, como as que nos são exibidas digitalmente quando subscrevemos o uso de um programa de software ou fornecidas quando compramos determinados produtos, também são formas escritas de acordo legal que se enquadram no domínio do direito positivo.
  4. arquivos legais. A história jurídica de uma nação, de uma instituição ou de um tribunal pode ser consultada em seus registros jurídicos, onde permanecem um número significativo de escritos jurídicos, ações judiciais, decisões judiciais e outros documentos que fazem parte do direito positivo.
  5. documentos fundadores. Grandes empreendimentos humanos geralmente consistem em algum tipo de documento fundador que certifica sua criação ou atesta os termos em que foi realizado, quem esteve envolvido e qual acordo específico foi alcançado. Ora de forma meramente documental ou histórica, ora para litígios ou litígios, estes documentos permanecem no tempo e podem ser consultados e utilizados no âmbito de ações de direito positivo.
Pode interessar-lhe:  20 Exemplos De Democracia No Dia a Dia

  • atos legais
  • Demanda civil
  • Lacunas da lei
Categorias Lei